Apresentação


Bom dia! Este Blogue pretende, assim como tantos outros, dar a conhecer esta pequena aldeia no concelho de Carregal do Sal, como as suas tradições que ainda resistem perante a persistência dos seus habitantes. Pretendemos assim que sejam compartilhadas consigo e com o resto do mundo esperando que usufrua de bons momentos visitando este pequeno sitio na internet. Bem haja!





Vista satélite da aldeia

sábado, março 20, 2010

Infância

Nasci há muito tempo em Portugal
Cá para mim, foi bom sinal
Berço melhor não posso imaginar
Criado no campo em boa hora
Ía para a escola com a fralda de fora
Regava o milho no Verão a escaldar

Nosso Pai muito longe trabalhava
Sempre sempre lutava
Para aos filhos poder dar
Caminho para melhor vida
Do que a ele foi servida
Tanto esperámos…até ele voltar

Nossa Mãe sempre a procurar
Aos seus filhos poder dar
Incondicionalmente
Amor de Mãe que transbordava
Mesmo quando nos dava
A sopa tão quente

Cedo viria mais separação
Escolas longe do coração
Norte, Sul…Deus meu
Comboios, carreiras, estradas
Caminhos escuros e levadas
Que saudades sentia eu

Memórias da minha aldeia
Do quintal, das galinhas, da candeia
Força tão grande, gravitacional
Espero nunca irá deixar
Por muito tempo me afastar
Da Póvoa…do centro de Portugal

Julio Filipe Rodrigues
18 de Março de 2010

5 comentários:

Carlos Peixeira Marques disse...

O Júlio aguarelista
C'o a sua veia d'artista
Teve uma bela ideia
Em sextilhas irregulares
Com versos rimand'ós pares
Pinta e canta a aldeia

Anónimo disse...

Na tela ou na poesia, reluz a alma de artista,portugês e beirão.
Qual será a proxima surpresa?
Gostei muito.Parabéns

Isabel Clara

Villager disse...

Carlos, muito obrigado pela sextilha tão bem construída. A poesia não é o meu forte, mas experimentei este formato inspirado pelo talento do meu bom tio Adolfo Coelho de Figueiredo.

Isabel, agradeço muito o seu comentário tão agradável. Volte sempre.

roger.a disse...

Não me atrevo a rimar
Nas voltas desta novela
talvez possa testemunhar
algumas suas passagens
tornam história bela
em vida tantas viagens

Villager disse...

roger.a, obrigado.